Skip Navigation Links
Como trabalhamos
Atendimento individual - Helpers
Palestras
Citações
Informações
Dúvidas frequentes
Arquivos
Vídeos
Links
Fale Conosco

Eva Pierrakos

                 Eva Pierrakos nasceu em Viena em 1915, filha de famoso romancista Jacob Wassermann,    cresceu entre a elite intelectual de sua cidade natal. Seu primeiro marido era filho de outro escritor famoso, Hermann Broch.

                Era uma jovem brilhante e expansiva que gostava de dançar e de esquiar, o que a levou mais tarde, em Nova York, a tornar-se instrutora de dança.

                Eva deixou a Áustria antes da invasão nazista e mudou-se para Nova York. Foi na Suíça, entretanto, onde viveu durante alguns anos, que seu dom psíquico começou a se manifestar sob a  forma de escrita automática.

                Ela passou a meditar por longas horas, mudou sua dieta e assumiu o compromisso de usar o seu dom exclusivamente para ajudar as pessoas, assumindo o risco de perder amigos, que pensavam que ela estava enlouquecendo. Começou então a desenvolver a clariaudiência, não ouvindo vozes externas, mas vozes internas que provinham do seu cérebro.

                Eva tornou-se um canal puro pela prática contínua de exercícios espirituais recomendados pela própria guiança, o que possibilitou a uma entidade espiritual de elevada sabedoria como o Guia se manifestar através dela e nos oferecer a dádiva de seus ensinamentos.

                Quando voltou aos EUA, um pequeno grupo formou-se ao seu redor. Ela mantinha sessões individuais do “Guia” e duas vezes por mês proferia uma palestra ou sessão de perguntas e respostas. De 1957 a 1979 o Guia proferiu 258 palestras sobre a natureza da realidade psicológica e espiritual e sobre o processo de transformação pessoal.

                Durante a vida de Eva a comunidade se reunia todos os meses em um local na cidade de Nova York. Eva entrava num estado de leve transe e o Guia falava através dela por cerca de 45 minutos.

                Em 1967, Eva conheceu Doutor John Pierrakos, psiquiatra, com quem se casou alguns anos depois. A fusão dos seus trabalhos individuais conduziu a uma grande expansão da comunidade  do Pathwork.

                Em 1972, o Trabalho do Caminho foi transformado em fundação educacional sem fins lucrativos a “Pathwork Foundation”.

                Eva morreu em 1979, legando-nos uma rica herança de material canalizado. Além de 258 palestras, há o registro de centenas de sessões de perguntas e respostas e consultas particulares com o Guia.

 * Crédito da foto: photo by Marianne Barcellona